Resenha: Os Irmãos Karamázov

Os irmãos Karamázov500

Tá, tudo bem, eu confesso, tenho uma queda pelos clássicos, assumo, mas que atire a primeira pedra quem nunca se embrenhou e se perdeu por estas paragens. Pronto, falei!!! E que paragens, rsrsrs…

Bom, meu primeiro contato com Dostoiévski começou com Crime e Castigo, nos idos de 1999, e, categoricamente, me vi impelida, rendida e apaixonada por Raskólnikov, o anti-herói. Sofri com a sua crise, com a sua sina, e não conseguia, ou não queria, aceitar que uma pessoa com aquela alma, índole e discernimento pudesse ter sido levado a cometer tamanha loucura. Ali, compreendi que o talentoso mestre russo não havia nascido para ficar à paisana e nem tampouco para perder tempo floreando sonhos intangíveis e imaculados; se a vida demonstrava sinais de brevidade, então, que fosse intensamente vivida.

Mas, o que tem a ver o fio com o pavio? Poderia, de fato, não coexistir nada de interessante, todavia, basta que se leia Dostoiévski uma vez, uma única vez, para ficar marcado para sempre, e literalmente, com o seu copyright, com a sua combustão e intensidade. Basta uma única vez para que você entre novamente no ciclo de vício e dependência que a sua aura e obras criam em torno de si e de quem os absorve, siiiim, você anseia cada parágrafo como se daquilo dependesse seu ar, seu fôlego e seu porvir. É, é muita faísca numa centelha só…

Então beleza, já foi fisgado, seus anticorpos já detectaram que espécime te cutucou e que são capazes de lidar com isso, joia!!! Agora trata de segurar a tua onda porque nem toda racionalidade é capaz de explicar o porquê de agirmos contra o óbvio e, muitas vezes, contra nós mesmos. Só me sinto na obrigação de esculachar a Dona Morte, pois “só acho” que ela deveria ter se atrasado mais um pouco para que Dostoiésvki tivesse continuado Os Irmãos Karamázov, dois volumes e 999 páginas não foram suficientes para dar cabo da minha sanha curiosa, enfim…

No primeiro volume, somos apresentados à família do patriarca, Fiódor Pávlovitch Karamázov, e precipitados nos dramas e origens distintas dos irmãos Karamázov, de sorte que este momento apresenta-se como fator impositivo e indubitável para a aceitação dos fatos, senão, ao menos para a contemplação dos propósitos desventurados que a vida precisa seguir para que tudo faça sentido. Cedemos à irascibilidade e afetividade de Dmitri, à doçura e equilíbrio de Alieksiêi e à sagacidade compendiosa de Ivan. Válido salientar que, entre tantas intempestividades, ainda coexiste a presença do filho bastardo, jamais reconhecido, Smierdiakóv.

O soco no estômago se dá em decorrência de discordâncias no que tange aos valores advindos da herança materna, que Dmitri acredita ter sido roubado pelo pai, e pelo triângulo amoroso que se enreda junto à senhorita Grúchenka, o que acaba de vez com qualquer possibilidade de entendimento entre pai e filho.

No segundo volume, orbitamos em torno do assassinato de Fiódor e, na maior parte do tempo, nas prerrogativas da suspeita e, posterior, prisão e julgamento de Mítia que, por sinal, dispara um discurso bastante emotivo pouco antes do cárcere:

“- Senhores, todos nós somos cruéis, todos somos uns monstros, todos levamos as pessoas ao choro, mães e crianças de colo, mas de todos – que assim fique resolvido neste momento -, de todos eu sou o réptil mais torpe! Que seja! Todo santo dia de minha vida batia em meu peito prometendo a mim mesmo corrigir-me, e todo santo dia cometia as mesmas vilanias. Agora compreendo que gente como eu precisa de um golpe, de um golpe do destino, para ser presa como por um laço e sujeitada por uma força externa. Eu nunca, nunca me levantaria por mim mesmo! Mas a tempestade desabou. Aceito o suplício da acusação e minha desonra pública, quero sofrer e com o pensamento purificar-me! Porque talvez me purifique, não, senhores? Mas, não obstante, ouçam pela última vez: não sou culpado pelo sangue derramado de meu pai! Aceito o suplício não por o haver matado, mas por ter querido matá-lo, e é possível que realmente viesse a matá-lo… Mas, apesar de tudo, tenciono lutar com os senhores e isso eu vos anuncio. Hei de lutar com os senhores até o último limite, e aí Deus decide! Adeus, senhores, não se zanguem por eu ter gritado com os senhores durante o interrogatório, oh, eu ainda era muito tolo… Dentro de um minuto serei um prisioneiro e agora, pela última vez, Dmitri Fiódorovitch, como homem ainda livre, estende aos senhores a sua mão. Ao me despedir dos senhores, despeço-me dos homens!…” (DOSTOIÉVSKI, 2008, p. 665).

E aí, será mesmo que ele tem culpa?

P.S.// Já ia esquecendo, aclamado pela crítica como uma das melhores obras de todos os tempos, por acreditá-la substanciosa política e filosoficamente, Os Irmãos Karamázov ainda é respaldado por Nietzsche e Freud, mas o que importa mesmo é que nós, meros mortais, também temos a chance, o direito e o dever de nos deleitarmos e esbaldarmos nesse regalo chamado Dostoiévski.

* DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Os Irmãos Karamázov. São Paulo: Editora 34 Ltda., 2008.

Anúncios

33 comentários sobre “Resenha: Os Irmãos Karamázov

    1. Verdade, amigo!!! Também me sentia assim. Tantas vezes me senti na pele de Mítia e o perdoei por seus desvarios e atos impensados e, qdo percebia, estava a me aceitar e a pensar em meus erros, angústias e acertos. E quantas vezes sorri com Aliócha e fiquei feliz pela sua capacidade de mediador em meio aos conflitos e, em tantos outros momentos, contemplei a pureza da sua alma e de sua amizade com meninos; e, é claro, senti raiva de Ivan por incitar Smierdiakóv, mas como não sentir prazer com sua erudição? Ai ai… Repito, queria a continuação, rsrrsrsr… Beijoca

      Curtir

  1. Tá ai! Meu primeiro livro de literatura estrangeira que por sinal, foi você quem mim emprestou, acho que tinha uns 13 pra 14 anos, confesso que fiquei um tanto zoada com os neurônios bem bagunçados, na primeira tentativa de interpretação do texto, afinal era bem diferente do que até o momento havia lido. Depois das primeiras páginas já um pouco mais situada com o vocabulário do autor, comecei em fim a viajar na angustiante história de Raskólnikov. Não vou relatar sobre o livro, mais o que posso dizer é que ainda hoje quando lembro do livro é como se estivesse naquele ambiente sombrio, abafado, meio nebuloso e triste em que mim parece que o protagonista foi descrito. Um bom livro, mais posso garantir fica bem melhor depois que você ler pela segunda vez. Valeu Kabeça por mim apresentar esse clássico.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Hahaha, isso mesmo Kbeça, existe um momento de adaptação, mas depois disso a leitura deslancha. E concordo plenamente, depois que se lê pela segunda vez, a compreensão fica mais aguçada e mergulhamos de cabeça nas razões e emoções do livro. Adoreeei saber que por intermédio meu vc conheceu o mestre russo, e ó, tem mais coisa boa aqui em casa, viu?! 😀 😀 😀 Beijocona

      Curtir

  2. This is actually fascinating, you’re a very professional blogger.
    I’ve joined your rss feed as well as sit up for searching for more
    of your excellent post.In addition, I have shared your
    site in my social networks!

    Curtir

  3. This is my first time to visit here. I found many
    interesting stuff within your blog, especially its discussion. From the
    plenty of comments on the articles, I guess I’m not the only
    one having most of the enjoyment! Keep up the superb job.

    Curtir

  4. I’m honored to get a call from a friend as he identified
    the important suggestions shared on your website.
    Exploring your blog post is a real superb experience.
    Many thanks for taking into consideration readers like me,
    and I wish you the best.

    Curtir

  5. Greetings from California! I’m bored to death at work so I decided to browse your
    website on my iphone during lunch break.
    I really like the info you provide here and can’t wait to take a look when I get home.
    I’m shocked at how fast your blog loaded on my phone
    .. I’m not even using WIFI, just 3G .. Anyways, excellent site!

    Curtido por 1 pessoa

  6. I think this is one of the most essential info for me.
    And I am glad reading your article. However want to remark
    on some general things, The website style is excellent, the articles are truly great : D.
    Good job, all the best.

    Curtir

  7. I’m really loving the theme/design of your weblog. Do you ever run into any internet browser compatibility problems?
    A number of my blog audience have complained about my blog not working correctly in Explorer but looks great in Firefox.
    Do you have any advice to help fix this issue?

    Curtido por 1 pessoa

  8. Thank you a lot for providing individuals with a very breathtaking chance
    to check tips from this blog. It can be so beneficial and packed with
    amusement for me and my office peers to search
    your site no less than three times a week to see the new
    secrets you will have. And definitely, I’m also actually amazed with the astonishing
    advice served by you. Selected two points on this
    page are unequivocally the most efficient we have had.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s